II Simpósio Internacional Leite Integral

Aconteceu | 03 de Maio de 2012 Voltar

Simpósio reuniu maiores especialistas mundiais em bem-estar, comportamento e imunidade

 

As inter-relações entre bem-estar e imunidade em rebanhos leiteiros têm sido objeto de inúmeros estudos na última década. Somam-se a esses, os vários trabalhos de avaliação do comportamento animal como indicativo de estresse e doenças.

Os resultados obtidos mostram a necessidade urgente de implementação de medidas que propiciem conforto aos animais, sob pena de grandes prejuízos decorrentes da ativação desnecessária do sistema imune, com consequente gasto de nutrientes que poderiam estar sendo utilizados para crescimento, produção de leite e reprodução.

Com o tema "Bem-estar, comportamento e imunidade - novas ferramentas para aumentar a produtividade em rebanhos leiteiros", a segunda edição do Simpósio Internacional Leite Integral, que ocorreu nos dias 3 e 4 de maio, em Belo Horizonte/MG, reuniu alguns dos principais especialistas mundiais nesses temas, e foi concebida justamente a partir dessa nova demanda de conhecimento. Exemplo disso, são os professores Marina von Keyserlingk e Daniel Weary, líderes do Animal Welfare Program, da University of British Columbia, no Canadá. Esse programa, considerado um dos mais importantes no mundo, tem como objetivo principal o desenvolvimento e validação de estratégias de manejo que proporcionem aumento do bem-estar animal e, consequentemente, dos índices produtivos. Fazem parte da linha de pesquisa do grupo, trabalhos relacionados à criação de bezerras, problemas de casco, período de transição, procedimentos cirúrgicos e ambiência.

O programa do evento - primeira edição conduzida após a integração da revista Leite Integral ao grupo AgriPoint – foi elaborado sob a supervisão geral de Flávia Fontes, coordenadora do Simpósio e editora-chefe da Revista Leite Integral.

Segundo Flávia, "a idéia de abordar esses temas veio da percepção de como os mesmos têm sido estudados e debatidos em eventos internacionais, como a reunião anual da American Dairy Science Association."

 IMG_3135.JPG (719 KB)

IMG_3194.JPG (781 KB)

IMG_3219.JPG (758 KB)

IMG_3289.JPG (738 KB)

 Comportamento de locomoção e afecções de casco

O evento teve início no dia 02/05 com um curso pré-simpósio, ministrado pelo Dr. Jeff Defrain, da Zinpro, EUA, com o tema “Comportamento de locomoção e afecções de casco”.  Ao longo de um dia de curso, os participantes assistiram a apresentações sobre limitações de performance e longevidade de vacas leiteiras causadas por problemas de casco, avaliação do comportamento das vacas leiteiras visando à adequação das instalações, à redução das lesões no sistema locomotor e ao aumento do bem-estar animal; estratégias de manejo preventivo das afecções de casco; e impacto da nutrição micromineral na redução dos problemas de casco e melhora da performance de vacas leiteiras

 

Bem-estar em rebanhos leiteiros

A abertura oficial do simpósio ocorreu na manhã do dia 03/05, com discurso de Flávia Fontes, editora chefe da Revista Leite Integral e coordenadora geral do evento, e Marcelo Pereira de Carvalho, diretor da AgriPoint. Na sequencia, Marina von Keyserlingk, abordou o tema "Bem-estar em rebanhos leiteiros - conceitos-chave e o papel da ciência". O trabalho que deu origem a essa palestra - "The welfare of dairy cattle - key concepts and the role of science", foi publicado no Journal of Dairy Science (setembro de 2009) e é considerado a mais importante publicação sobre bem-estar em gado leiteiro do mundo. Segundo ela, produtores, indústria e o meio científico podem fazer muito para melhorar o conforto em rebanhos leiteiros. Exemplos disso são a melhoria de práticas de manejo como a descorna, utilizando analgésicos, e o fornecimento de maior quantidade de leite para as bezerras.

Os efeitos de agentes estressantes e doenças sobre a fertilidade de vacas leiteiras foi o tema da apresentação do Dr. Mark Crowe, da University of Dublin, na Irlanda. Uma importante conclusão de sua apresentação foi que a seleção para produção de leite tem aumentado o estresse (metabólico e nutricional) das vacas, afetando diretamente a reprodução, por efeitos nos ovários, saúde uterina e hipófise.

Conforto é palavra de ordem quando se deseja alcançar altos índices produtivos e reprodutivos em rebanhos leiteiros. Independente do tipo de sistema de produção, existem formas eficientes de aumentar o bem-estar e reduzir os fatores estressantes. Pensando nisso, convidamos um dos maiores especialistas mundiais em conforto - Dra. Daniel Weary, da University of British Columbia - para apresentar a palestra "Como aumentar o conforto em sistemas free stall", enfocando especialmente a redução dos quadros de laminite. Ele mostrou que pequenos ajustes nas instalações, como mudanças no posicionamento do "nack rail" podem reduzir a severidade e o tempo de recuperação das lesões de casco.

Para abordar o mesmo tema, mas aplicado a vacas mantidas em pastagens, convidamos o Dr. José Renato Chiari, médico veterinário e produtor de leite na Fazenda São Caetano, em Morrinhos/GO. Segundo ele, "existem muitas formas de aumentar o conforto nos sistemas de pastejo, e isso é essencial para alcançar a máxima produtividade e bons índices reprodutivos". Em sua apresentação, que mostrou o manejo adotado em sua propriedade, ficou claro que essas palavras não são apenas teoria. Sombrites e cochos de água móveis são apenas dois exemplos de que "sombra e água fresca" nunca faltam por lá.

 

Comportamento

Em uma segunda apresentação, Marina von Keyserlingk abordou as estratégias de manejo para a detecção precoce de doenças, especialmente no período de transição. Segundo ela, o comportamento, principalmente alimentar, é uma excelente ferramenta para identificar vacas com maior risco de ficarem doentes no pós-parto e, com isso, reduzir os prejuízos causados por essas doenças.

Para falar sobre comportamento alimentar e seus impactos na produção de leite, foi convidado o Dr. Trevor DeVries, Professor da University of Guelph, no Canadá. As principais aplicações práticas de suas apresentação incluem a melhoria das instalações e do manejo alimentar de vacas leiteiras, com o objetivo de melhorar os índices produtivos, de saúde e de bem-estar dos rebanhos. Uma das mensagens mais importantes de sua palestra é que devemos deixar as vacas comerem quando elas quiserem e tudo que elas necessitam, sem competição por espaço de cocho".

Novos conceitos na criação de bezerras foi o tema da palestra de Andréia de Paula Vieira, também da University of British Columbia, no Canadá. Segundo ela, as bezerras devem receber 20% do seu peso vivo em leite ou sucedâneo/dia, e o desaleitamento deve ser feito de forma gradual. Ela mostrou ainda dados de experimentos de comportamento que indicam que bezerras criadas aos pares se desenvolvem melhor que aquelas mantidas em instalações individuais.

 

Imunidade

As inter-relações entre nutrição e imunidade foram o tema da apresentação do Dr. Michael Ballou Professor do Department of Animal and Food Sciences, da Texas Tech University, nos EUA. Seus principais focos de trabalho são o entendimento de como a resposta imune dos bovinos, nos diferentes estágios fisiológicos, está envolvida com a resistência às doenças; e a modulação da resposta imune por meio da nutrição. Segundo ele, o grande desafio dos sistemas de produção de leite é conseguir limitar a patologia das doenças, sem comprometer a eliminação dos agentes infecciosos, visando reduzir "os custos" nutricionais da proteção imunológica.

Também para falar sobre as interações entre nutrição e imunidade, mas com um enfoque na redução da ocorrência de doenças, convidamos o Dr. Matt Waldron, da University of Missouri, nos EUA. A principal conclusão prática de sua apresentação é que o aumento da resistência frente as doenças passa pela redução de deficiências nutricionais e dos agentes estressantes. Segundo ele, essas formas de prevenção são muito mais fáceis e eficientes do que o manejo dos problemas decorrentes de falhas nas mesmas.

Outro grande destaque do evento foi o Prof. Lance Baumgard, da Iowa State University, nos EUA. Sua palestra relacionou os efeitos do estresse calórico sobre o metabolismo energético e a produção, bem como estratégias para aumentar o conforto térmico de vacas leiteiras.

“O modelo de nos aprofundarmos em um tema específico, adotado já na primeira edição do Simpósio, se mostrou correto, com grande aceitação do público”, diz Flávia. “Vamos repetir o formato, porém com um novo tema a cada ano”, revela.

O evento, que teve o patrocínio da Bayer, Dow Agrosciences, Nutron, MSD Saúde Animal, Itambé, Elanco, Tortuga, Alta Genetics, Agroceres Multimix, Vaccinar e Katec Lallemand foi um dos três grandes encontros promovidos pela AgriPoint em 2012. Esse ano a empresa realizará ainda a décima segunda edição do Interleite, entre 11 e 13 de setembro, em Uberlândia/MG.