Resistência aos desafios

Gestão | 01 de Dezembro de 2017 Voltar

RESISTÊNCIA AOS DESAFIOS

Quão resiliente é a sua fazenda?

A capacidade de um negócio resistir às situações adversas é conhecida como resiliência.Este atributo engloba as características inerentes a cada fazenda, bem como a sua forma de lidar com as circunstâncias. A capacidade de gerenciamento da propriedade para se antecipar, preparar, responder e recuperar de um choque define o seu grau de resiliência financeira.

Os impactos financeiros a que as fazendas leiteiras estão sujeitas incluem a volatilidade 2 dos preços de leite e alimentos, picos da taxa de juros, questões trabalhistas, entre outros. Instabilidades que afetam uma propriedade, individualmente, podem incluir surtos de doença, problemas pessoais ou familiares, clima e dificuldades com a safra. As fontes mais importantes de ameaça - definidas pela alta probabilidade e impacto em potencial - devem ser prevenidas por meio de uma gestão de risco da propriedade. No entanto, como nem todos eles podem ser antecipados e prevenidos, a resiliência financeira geral da propriedade é muito importante.

TRÊS QUESTÕES PRINCIPAIS

Solvabilidade e liquidez são dois dos principais índices que determinam a resiliência financeira da fazenda. As principais perguntas são:

  1. Quanta liquidez uma fazenda pode perder?
  2. Quanto capital e liquidez são perdidos em anos ruins?
  3. Quanto tempo se leva para recuperar essas perdas?

Para compreender a situação da resiliência financeira da sua empresa rural, comece com balanços de valor de mercado e com uma demonstração de resultados de exercício. A demonstração de fluxos de caixa detalhados também seria de grande valor, mas, infelizmente, não é uma prática comum das fazendas. Para te ajudar, seguem alguns índices financeiros.

Tabela. Aspectos financeiros importantes e suas definições

resistencia aos desafios.png (57 KB)

A rentabilidade refere-se à capacidade de gerar retornos sobre todos os aspectos da produção. O capital mobilizado, o gerenciamento e o trabalho não remunerado são aspectos importantes em explorações leiteiras. O retorno deve ser suficiente para manter os ativos em produção. Os lucros são medidos pelo rendimento líquido da fazenda, enquanto a rentabilidade pode ser avaliada pela taxa de retorno sobre ativos, ou seja, pelo lucro operacional mais pagamentos de juros, dividido pelo valor de patrimônio da fazenda.

A solvência está ligada à capacidade de os ativos de uma fazenda cobrirem os passivos. O patrimônio líquido é igual ao ativo menos o passivo. Um patrimônio líquido positivo significa que o negócio é solvente, mas isso não é o suficiente. A maioria dos credores quer ver a relação dívida/ativo da fazenda abaixo de 60%. Acima deste limite, tomar empréstimos, muitas vezes, se torna caro, pois os juros serão maiores.

A quantidade de capital próprio que uma fazenda pode se dar ao luxo de perder depende de sua situação atual. Os credores querem, na maioria dos casos, que a relação entre patrimônio líquido/ativos seja menor do que 40%. Quando estão começando ou expandindo, os produtores podem ficar abaixo deste percentual, mas em razão disso correm o risco de pagar altas taxas de juros se pedirem empréstimos. Sabendo que o limite é de 40% do patrimônio líquido/ativos, podemos calcular quanto dinheiro alguém pode perder antes de atingir esse limite.

A liquidez é a capacidade de pagar as contas antes do vencimento. Podemos medir isso dividindo os ativos atuais da fazenda pelos passivos correntes. Outra possibilidade é medir a liquidez, usando o capital de giro, que são os ativos atuais menos os passivos correntes da fazenda. É possível, ainda, calcular o capital de giro por vaca para padronizar esta medida.

Em geral, uma liquidez corrente de 2 ou mais é o ideal, pois significa que os ativos representam o dobro do passivo circulante. Em termos de capital de giro, muitos sugerem manter uma reserva que cubra cerca de três meses de despesas. A tendência nos últimos anos tem sido manter mais liquidez. Isto é devido aos anos de renda alta, e também à preferência dos credores por fazendas que tenham mais liquidez. Note, no entanto, que há um custo de oportunidade para se manter a liquidez alta, pois esses fundos não serão investidos em ativos produtivos.

VOCÊ SOBREVIVERIA?

Como você lidaria com uma grande perda? Quão grande poderia ser esse prejuízo? Para começar, podemos considerar o capital perdido em anos ruins. Usar os registros de uma época em que a fazenda tenha passado por dificuldades pode ajudar na compreensão de quanto capital está em risco em anos difíceis.

Quanto de prejuízo os ativos atuais podem absorver para manter o índice de liquidez acima de 2? As variações médias na solvência e liquidez de anos passados também ajudam a prever quanto tempo pode demorar para uma fazenda se recuperar de um ano ruim.

Compreender a exposição da sua fazenda ao risco financeiro é importante por vários motivos. Primeiro, serve como um alerta precoce. Se a solvência ou a liquidez da fazenda são problemas, o planejamento e gerenciamento desses aspectos devem ser prioridades. Além disso, todas as empresas exigirão infusões de capital em algum momento, e estes fatores são comumente monitorados pelos credores para determinar se um empréstimo será concedido e, em caso afirmativo, quanto isso irá custar. Toda fazenda está à mercê da volatilidade nos preços do leite e de outros alimentos, além de outros percalços que podem afetar a atividade. Por isso, compreender o estresse e a resiliência financeira são fundamentais para sobreviver e prosperar. 

CHRISTOPHER A. WOLF

Professor de Agricultural, Food and Resource Economics na Michigan State University Republicação autorizada da edição de 25 de agosto de 2017 da Hoard’s Dairyman, p. 525. Copyright by the W.D. Hoard and Sons Company, Fort Atkinson, Wisconsin, USA